A falta e a Psicanálise: por que se fala tanto disso?

Vocês já devem ter reparado que nos meus posts eu sempre falo da falta.

.

Por que isso?

.

Falar sobre a falta é falar sobre o desejo, uma vez que só desejamos porque algo está faltando. E o desejo é aquilo que nos coloca em movimento na nossa história, aliviando a angústia (que, ao contrário, é paralisante).

.

Falar sobre a falta é também entender que somos falta-a-ser, isto é, seres da falta. E isso coloca em questão as buscas excessivas por mais (e mais e mais...), uma vez que se compreende que, mesmo alcançando certas coisas, tem algo que vai continuar faltando. Ou seja, se não toma-se cuidado, a pessoa pode ficar numa busca incessante que a convida para um mais-ainda sem fim.

.

Logo, pensar sobre a falta é desconstruir certos ideais inalcançáveis, fazendo um menos no gozo (esse mais-ainda sem fim). Que, por conseguinte, abre espaço para o desejo.

.

Pensar sobre a falta é também entender que tudo-saber, tudo-fazer e tudo-dar-conta é impossível e, portanto, é respeitar as falhas e furos que permeiam a vida.

.

Logo, seja na família, no amor, na profissão... sempre vamos estar em algum ponto insatisfeitos ou esbarrando em certas impossibilidades. Sendo assim, acolher a falta é acolher a vida. E quem sabe assim ela não fica um pouco mais leve?

.

É por isso que na psicanálise se fala tanto da falta. E isso não é para jogar a pessoa num vazio, e sim para tentar fazer dele mais humano.

.

O que você pensa sobre isso?

  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • YouTube

©2020 por Clara Nicolato. Direitos Reservados.